E depois da Introdução Alimentar? Como lidar com os desafios na hora das refeições?

Você fica tensa na hora das refeições, preocupada com a quantidade ou a qualidade dos alimentos que seu filho come? Você fica aflita quando ele come batatinha frita no bar ou pede um doce antes do jantar? Você se sente insegura quando ele recusa ao opções mais saudáveis do almoço e se distrai em seguida já dizendo que está satisfeito? E em seguida quer beliscar algo?

refeicao E depois da Introdução Alimentar? Como lidar com os desafios na hora das refeições?
Quem aqui se identifica??

A Nara teve uma Introdução Alimentar de novela, o BLW aqui em casa fluiu super bem. Ela provava de tudo, nos divertimos, eu fiquei maravilhada com a experiência de confiar no ritmo dela, permitir que ela descobrisse os alimentos do seu jeito, no seu tempo. Claro que teve sujeira, cansaço e fases mais desafiantes. Mas eu me informei muito, fiz o Curso Avançado em Introdução Alimentar ParticipAtiva e BLW, com a Aline Padovani e me senti super confiante durante o processo. Tanto que na época lancei um perfil no Instagram (@blw_nara) onde eu narrava meu cotidiano com a pequena e compartilhava experiência com outras mães. Foi uma fase super gostosa, leve e prazerosa.

Só que perto dos 2 anos a coisa mudou, a Nara já não era tão receptiva aos alimentos e também deixou de ganhar peso. No começo não dei bola, achei que era esperado, tinha lido que era normal o ritmo de crescimento diminuir e também as fases de inapetência ou resistência com alguns alimentos. Mas a Nara passou praticamente um ano sem ganhar peso, hoje ela tem 3 anos e 5 meses e pesa uns 11kg. Tem outros fatores que influenciaram no “atraso” dela, uma malformação que ela tem na mandíbula, uma apneia grave que diagnosticamos há alguns meses… Estamos tomando as medidas necessárias para remediar esses desafios.

A questão é que sentar-se à mesa deixou de ser leve. Sempre estou em alerta com o que e quanto ela come. Nunca forcei, não elogio quando ela come pra não induzir, respeito a autorregulação dela. Mas fico insegura, por dentro não me sinto bem. E não lido bem com as sobras, muitas vezes acabo comendo o que ela deixa no prato e por conta disso ganhei muitos quilos nos últimos meses…

O que noto é que tenho muitas crenças a serem trabalhadas nesta área. Preciso fazer as pazes com o tema da alimentação dela, recuperar a confiança e saber o que posso fazer para encontrar equilíbrio entre saber conduzir uma alimentação saudável e não ficar paranoica.

Vocês também se sente desafiadas na hora das refeições? Quais são suas angústias com este tema?

🌸🌸🌸

Se você está com desafios em relação à alimentação do seu filho e se sente um pouco perdida depois que ele completou 2 anos, te sugiro a conhecer o Programa Efeito Sophie na Alimentação Infantil, com as nutricionistas Janaina Kühn e Sophie Deram, que tem como objetivo transformar o que você conhece sobre alimentação infantil, rotina alimentar e comportamento alimentar da criança. Ele está pensado para orientar pais de filhos entre 2 e 7 anos que querem manter uma rotina alimentar equilibrada e saudável, longe de neuras.

🌸🌸🌸

Gostou deste post? Mande para uma amiga, compartilhe nas redes sociais! Assim você me ajuda a difundir meu trabalho e ajuda uma mãe (ou pai) de dois ou mais filhos.

Vamos fazer crescer essa rede de apoio que tanto faz falta às mães!

🌸🌸🌸

Quer receber mais conteúdo gratuito sobre temas desafiantes da maternidade? Assine minha newsletter!

Receba minhas publicações em seu e-mail.

Junte-se a outras mães que também estão em busca de conhecer e compreender melhor a si mesmas para se tornarem mães mais presentes e conectadas com seus filhos. Cadastre seu e-mail abaixo gratuitamente.

1 comentário

Gostei do seu depoimento e acho que toda informação é válida para o nosso dia a dia. Abraços!!! Rê Lopes

Faça um comentário


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.